Novos tratamentos da Degeneração Macular

Tratamento da Degeneração Macular com Injeção Intravitrea

 A Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI) é uma doença da retina que afeta a visão central em indivíduos acima de 50 anos. Na fase inicial, pode não provocar sintoma visual algum, mas em fase mais avançada, pode produzir uma mancha escura no centro da visão que impede a realização de atividades cotidianas como ler, enxergar placas de rua, discar números no telefone, cozinhar, reconhecer pessoas, ver TV e dirigir.

Novos tratamentos da Degeneração Macular atualmente, uma das formas de tratamento para os casos mais avançados da doença, nos quais o paciente observa a mancha escura no centro da visão, é a aplicação periódica de injeções intraoculares de medicamentos Anti-angiogênicos.

 

View Video

 

View Video

 

O uso de medicamentos Anti-angiogênicos ou anti-VEGF via injeção intraitrea, trouxe uma nova perspectiva para tratamento de algumas patologias nos últimos anos. Dentre as medicações disponíveis na literatura médica podemos citar: Ranibizumabe (Lucentis ®) e Aflibercept (Eylea®). Outra droga chamada Bevacizumabe (Avastin®), também usada “off-label” no tratamento da DMRI neovascular, tem mostrado bons resultados.

Captura de Tela 2014-06-26 às 22.48.14

 

Há alguma restrição para a injeção deste medicamento intraocular?

A grande maioria dos pacientes que sofrem da forma avançada de DMRI pode ser submetida ao tratamento. A única exceção refere-se àqueles pacientes com infecções oculares do tipo blefarite e conjuntivite. Essas situações, no entanto, são raras, e uma vez controlada a infecção, o tratamento intraocular pode ser instituído.

 

Que cuidados o paciente deve ter antes do procedimento?

Apenas jejum de 2 horas.

 

Como se dá a preparação do paciente antes da aplicação?

Ele deve chegar ao hospital 30 minutos antes do horário marcado, para a dilatação da pupila. Já na sala cirúrgica, é pingado um colírio anestésico no olho. O procedimento dura cinco minutos e a injeção intraocular é absolutamente indolor. Após a injeção da medicação intraocular, o paciente permanece deitado por mais alguns minutos. Depois, pode se levantar e ir para casa direto, podendo voltar a se alimentar logo em seguida.

 

Quais são as técnicas existentes para a realização do tratamento?

A técnica é uma só, a diferença está na escolha da medicação.

 

Qual o tempo de duração do procedimento?

O procedimento dura 15 minutos, o mesmo tempo necessário para se realizar uma cirurgia de correção de miopia com laser. Na verdade, o maior tempo é gasto com a preparação do material, que é feita seguindo todas as normas de assepsia e antissepsia utilizadas em cirurgias oculares, como catarata, por exemplo.

 

Há algum tipo de complicação que possa surgir durante a aplicação?

A complicação que pode surgir, embora pouco frequente, é o aparecimento de uma pequena coleção de sangue próximo ao olho em que foi feito o procedimento. Mas essa mancha vermelha é externa ao olho e desaparece sozinha após poucas semanas. Complicações mais graves, como descolamento de retina ou infecção ocular, são muito raras e bastante minimizadas quando a técnica cirúrgica e os cuidados com assepsia e antissepsia são seguidos à risca.

 

Quanto tempo após a injeção o paciente pode retomar suas atividades normais?

Já no dia seguinte. Exercícios físicos intensos podem ser realizados depois de uma semana, mas caminhadas e exercícios leves são liberados a partir do terceiro dia após a cirurgia.

 

Que cuidados especiais o paciente deve ter após realizar o tratamento?

Pingar colírio antibiótico durante três dias e observar o período para retornar à realização de exercícios físicos.

 

Lembre-se: Este artigo visa informar o público e não substitui avaliação por médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico.

 

O Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ ®, possui equipe médica especializada, e grande experiência no diagnóstico e tratamento da  Degeneração Macular (DMRI).

 

Agende sua consulta.

Dr. Almyr Sabrosa

Médico-oftalmolgista pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia CBO, especialista Retina clinica- cirurgica FMUSP.

Dr.Renato Patuzzo

Médico-oftalmologista especialista pelo Conselho Brasileiro de oftalmologia, Pós-graduação pela PUC-RJ.


Lembre-se: O médico oftalmologista é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico.