O que é Córnea

A córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho, e para um fácil entendimento, podemos compará-la ao “vidro de um relógio”. Ela permite a entrada da luz entrar e executa dois terços das tarefas de foco, seguida da íris (aquela área colorida do olho) e a pupila.

Captura de Tela 2014-06-26 às 23.15.07

Apesar de não haver vasos sanguíneos na córnea, existem diversos nervos e os nutrientes fornecidos são da mesma fonte que os canais lacrimais. Quando há perda de transparência da córnea (opacificação) ocorre o leucoma de córnea. Além da transparência, uma córnea saudável apresenta curvatura que ajuda a formar a imagem na retina com foco e nitidez, por isso as alterações nesta curvatura prejudicam a visão.

 

View Video

 

O que compõe a Anatomia Macroscópica da Córnea

A córnea é uma estrutura transparente, situada na região anterior do globo ocular, cuja função é refratar e transmitir a luz. Sua face anterior é elíptica, medindo aproximadamente 12,6 mm no meridiano horizontal e, 11,7 mm no vertical. Apresenta uma espessura média de 0,520 mm na região central e de quase 1,0 mm na região mais periférica.

Untitled1Untitled2

A curvatura da face anterior não é uniforme, apresentando a curva na região central mais plana que a região periférica. Seu raio de curvatura médio de 7,8 mm na face anterior da região central, e de 6,6 mm na face posterior. A escala de poder refracional de sua estrutura é de 44,00 Dioptrias

É uma estrutura não vascularizada e sua inervação é desprovida de bainha de mielina, o que garante a sua total transparência.

 

Anatomia Microscópica:

Captura de Tela 2014-06-26 às 23.16.27

 

Classicamente a córnea possui cinco camadas:

1) Epitélio

– compreende-se pela camada superficial da córnea, é uma célula provida de grande capacidade de regeneração.

2) Membrana de Bowman

– é constituída a partir de células do epitélio basal, lâmina basal e fibras do Estroma anterior.

3) Estroma

– um tecido responsável por sustentar a célula, conhecido como tecido conectivo.

4) Membrana de Descemet

– esta membrana é responsável por revestir a superfície do Estroma e uma camada posterior, localizada próximo ao Endotélio.

5) Endotélio: células hexagonais responsáveis por manter a transparênciadas camadas da córnea.

Captura de Tela 2014-06-26 às 23.16.49

Várias doenças oculares podem debilitar a córnea, causando a perda de sua transparência, ou irregularidade de sua forma ou superfície, por exemplo: Ceratocone em estágio avançado, trauma no olho, infecções, queimaduras por substâncias químicas, enfermidades congênitas ou outras causas em que a pessoa pode ter a visão bastante reduzida ou, às vezes, até perder a visão.

Apesar de não haver vasos sanguíneos na córnea, existem diversos nervos e os nutrientes fornecidos são da mesma fonte que os canais lacrimais. Quando há perda de transparência da córnea (opacificação) ocorre o leucoma corneano. Além da transparência, uma córnea saudável apresenta curvatura que ajuda a formar a imagem na retina com foco e nitidez, por isso as alterações nesta curvatura prejudicam a visão.

Lembre-se: Este artigo visa informar o público e não substitui avaliação por médico oftalmologista, que é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico

 

Agende sua consulta. 

Dr. Gustavo Bonfadini

Doutor em Oftalmologia e Ciências Visuais pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), realizou especialização de 3 anos em Oftalmologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Residência Médica em Oftalmologia pela Secretaria Municipal de Saúde – RJ. É especialista em Cirurgia de Catarata e Transplante de Córnea pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Fez Post-doctoral Research Fellowship em Catarata, Córnea e Cirurgia Refrativa pela Johns Hopkins University – Estados Unidos. Chefe do Setor de Córnea e Cirurgia Refrativa do Instituto de Oftalmologia do Rio de Janeiro – IORJ, atua nas áreas clínica e cirúrgica da oftalmologia geral, transplante de córnea, síndrome do olho seco, ceratocone, distrofia de Fuchs, conjuntivite, cirurgia a laser, lentes intra-oculares, cristalino e catarata.


Lembre-se: O médico oftalmologista é o único profissional capacitado para realizar o diagnóstico preciso e indicar o tratamento mais adequado para cada caso. Portanto, não pratique a auto-medicação e procure sempre o seu médico.